Países da América Latina fecharam fronteiras para estrangeiros

Medidas estão sendo tomadas como prevenção contra a pandemia de coronavírus

Com a escalada do número de pessoas contaminadas pelo coronavírus na América Latina, diversos países começaram a colocar em prática a política de fechamento de suas fronteiras para a entrada de estrangeiros com o intuito de tentar conter a propagação e o contágio em meio à pandemia.


Na terça-feira (17), os presidentes de Colômbia, Chile, Argentina, Equador, Peru, Bolívia e Uruguai realizaram uma reunião, por videoconferência, com o objetivo de traçar estratégias de controle da doença.

O Brasil também participou do encontro online, mas, diferentemente dos outros países, o presidente Jair Bolsonaro não representou o país: um chanceler cobriu a ausência do chefe do Executivo Brasileiro.

Veja quais países fecharam suas fronteiras

ARGENTINA
Foi decretado o fechamento das fronteiras até 31 de março para o ingresso de estrangeiros, com possibilidade de prorrogação deste prazo. Contudo, eles poderão deixar o país e os argentinos poderão voltar para casa.

BOLÍVIA
Em 12 de março, o país anunciou a proibição da entrada de passageiros vindos de China, Coreia do Sul, Itália e Espanha. Voos de partida para a Europa e de chegada de lá foram suspensos. A partir de quinta-feira (19), as fronteiras da Bolívia estarão fechadas para estrangeiros e os voos internacionais para todos os países serão suspensos a partir de sexta-feira (20). As medidas valem, a princípio, até 31 de março. 

BRASIL
Foi anunciado, em 17 de março, o fechamento parcial da fronteira brasileira com a Venezuela. Este é o único país que com contato com o Brasil interrompido até esta quarta. 

CHILE
Começou a valer nesta quarta-feira (18) o fechamento de todas as fronteiras – terrestres, marítimas e aéreas – do país para a entrada de estrangeiros até 31 de março. Foi anunciado ainda que as Forças Armadas farão o controle das fronteiras do Chile com países vizinhos. Cidadãos do país que estiverem no Exterior poderão retornar, mas serão obrigados a ficar em isolamento por 14 dias. 

COLÔMBIA
De 17 de março a 30 de maio, as fronteiras terrestres, marítimas e aéreas colombianas estarão fechadas para a entrada e saída de cidadãos locais e de estrangeiros. 

COSTA RICA
Não ordenou o fechamento de fronteiras, somente o de estabelecimentos, como bares, cassinos e boates. 

CUBA
As fronteiras não foram fechadas e os voos não foram suspensos. Contudo, o país aumentou a vigilância e o cuidado com turistas vindos de China, Itália, Irã, Japão, Coreia do Sul, EUA, França e Alemanha, informou aos periódicos cubanos Francisco Durán García, diretor nacional de Epidemiologia do Ministério da Saúde Pública cubano. 

EQUADOR
Em 14 de março, o país proibiu a entrada de estrangeiros no território equatoriano por via terrestre, aérea e marítima. Foi ressaltado, contudo, que a saída de pessoas não está proibida, mas os voos domésticos e o transporte entre as províncias estão suspensos. Cidadãos do país que voltarem de nações com risco de contágio serão obrigados a ficar em isolamento por 14 dias. 

EL SALVADOR
Em 11 de março, o país proibiu o ingresso de qualquer estrangeiro até 31 de março no território salvadorenho, com exceção dos diplomatas. Cidadãos do país e residentes podem retornar para casa desde que façam quarentena de 30 dias. 

GUATEMALA
O país fechou suas fronteiras com El Salvador e Honduras até 31 de março. Não é permitida a entrada de pessoas que estiveram na China, Coreia do Sul, Irã e todos os países da Europa. Residentes, diplomatas e aqueles que estiveram no México, no Panamá e na Costa Rica, países onde há casos confirmados, serão colocados em quarentena. 

HAITI
Foram suspensos todos os voos internacionais, exceto os vindos dos EUA. Além disso, a fronteira com a República Dominicana está fechada desde a última segunda-feira (16). 

HONDURAS
O presidente hondurenho, Juan Hernández, fechou as fronteiras aéreas, marítimas e terrestres do país até 23 de março. Ademais, o governo anunciou restrição de entrada no país para viajantes de países com alta incidência de coronavírus. Cidadãos hondurenhos que vêm desses países devem permanecer em quarentena por 14 dias. 

MÉXICO
Até o momento, foi implementada triagem de passageiros em voos e cruzeiros internacionais, mas nenhuma restrição de entrada foi emitida para portos e aeroportos. 

NICARÁGUA
Por enquanto, a Nicarágua ainda não estabeleceu quarentena obrigatória para pessoas provenientes de países afetados pela pandemia ou restrições ao tráfego de pessoas que entram no país. E, contrariando as recomendações da OMS, o país organizou comícios públicos para, segundo o governo, apoiar pessoas afetadas pelo coronavírus. 

PANAMÁ
Em 16 de março, o governo anunciou que apenas panamenhos e residentes estrangeiros poderiam entrar no país. 

PARAGUAI
Em 14 de março, o Paraguai suspendeu a chegada de voos vindos da Europa até, pelo menos, 26 de março. Restringiu também o tráfego de pessoas na Ponte da Amizade, que conecta o país ao Brasil, até 2 de abril. Poderão passar pela travessia turistas sem documento paraguaio, caminhoneiros e veículos com mercadorias, e paraguaios que estejam em tratamento médico no Brasil. 

PERU
Após declarar estado de emergência em 15 de março, o Peru anunciou o fechamento de sua fronteira até, pelo menos, 31 de março. A medida inclui o cancelamento de todos os voos – tanto de partida quanto os de chegada – comerciais internacionais para o país. 

REPÚBLICA DOMINICANA
Todos os viajantes que chegam ao país devem preencher um formulário de histórico de viagens. Os voos de Milão para a República Dominicana foram cancelados e os navios de cruzeiros internacionais podem ser impedidos de atracar até 16 de abril. 

URUGUAI
A partir de 20 de março, será proibida a entrada de voos vindos da Europa no território uruguaio. Nesta terça-feira (17), o país fechou todas as fronteiras - aéreas, terrestres e marítimas - com a Argentina. Os postos de fronteira terrestre com o Brasil também foram interrompidos. Cidadãos uruguaios e os estrangeiros residentes no país poderão entrar. 

VENEZUELA
Em 12 de março, a Venezuela anunciou que cancelaria todos os voos da Europa, Colômbia, Panamá e República Dominicana por pelo menos 30 dias. O país também anunciou uma quarentena em todo o país.

Fonte: Gaúcha ZH

0 Comentários